,

Outros 500 dias (com ela)

Gabrieli de Cinque15:56

O brabo é que ela adora sexo contigo. E descer até o mar com vocês é algo como ter uma coroa de espinhos para me proteger do sol forte, que se assanha cada vez que ela grita aquela do Strokes pela janela do carro. Ela gosta de você, rapaz, já deve ter entendido isso sempre que ela venera essas camisetas púrpura e desleixadas de furos inesperados que tira da sua mochila amassada.

Você é meu amigo, desde que choramos juntos os dois gols do Zidane, logo sou meio que obrigado a te amar. Ela não, ama porque quer. Mesmo você sendo assim tão sério e ao mesmo tempo não querendo nada tão sério. Eu sei, lá venho outra vez com meus mantras retro-românticos e você aí, moderno tanto quanto seu pai. Digo sempre, é preciso fazer o bem, o que não é tão fácil. Pra disfarçar.

Mas quando lá vem ela, não resisto em dizer. Com aquele livro interminável, o vestido preto e solto esvoaçando, com os pés descalços na grama, passando mensagens subliminares de que é aquilo que faltava na sua vida pra começar os dias no litoral sorrindo, mesmo se falta queijo ou a vizinha desperta inspirada em aspirar pó na companhia sonora do Odair José. Onde você vê uma garota com o corpo gostoso, é o planeta dando contortos e carne a todas as rimas melódicas de amor, essas que a gente veio ouvindo e gritando e cantando até chegar aqui.

Talvez eu porte uma espécie vintage de catarata sentimental ou seja mesmo louco por ela a ponto de não possuir assuntou ou garota mais interessante para pensar. Eu só queria repartir um segredo, velho amigo. Mulher pode ser ternura ou sacanagem, depende de como se vê. Se você superar as brincadeirinhas cheias de intenções com pele de cordeiro e dançar desafinado Coldplay versão salsa com taco de sinuca, fazendo-a rir boba, mas não histérica e artificial, mas com os olhos de amora, bem, também é super capaz dela dar para você do mesmo jeito, quando a noite cair. 

Então desfaz essa cara. Sorria também quando não está sendo filmado nos momentos em que deseja explodir suas artimanhas de "homenzinho-covarde-que-trata-as-meninas-feito-lixo" dentro de alguém. Essa ideia modista de encarnar o cafajeste é um jeito inseguro de não ser a caça, quando obviamente uma mulher dessas parece difícil de manter. Quer saber? Alessandras Ambrósio nem sempre são Alessandras Ambrósio. São meninas com o rosto bonito atrás de um pouco de abrigo quando o mar traz brisa depois do sol.

Sério. Ela vai dar pra você sem a necessidade de seguir os passos "encantar-seduzir-possuir-escapar-manipular-humilhar". Ela vai dar pra você se demonstrar que pode ir um pouco além do compromisso consigo mesmo. E você enche a boca orgulhoso pra falar das suas atitudes distintas, contra-modistas, então ouve isso: cuida direito dessa menina, rapaz. Mas para sacar isso, talvez nem passando outros 500 dias com ela. Então era isso e uns tapinhas nas costas.


Gabito Nunes

You Might Also Like

1 comentários

Twitter

Instagram