,

Apego, Gabito Nunes.

Gabrieli de Cinque20:51


Ainda não contei de você a ninguém. Acho meio arriscado ou, quem sabe, mera superstição. 
Eu sei que as pessoas vão me pedir cuidado. Assim me guiei por uma vida toda e foi 
exatamente isso que hoje me faz uma pessoa contando uma história de amor sem nunca ter 
protagonizado uma. De um jeito ou de outro, sempre soube que pegar leve era uma forma 
de me manter todas as minhas metades comigo mesma, até então sem saber pra quê servia isso.

Só pude ver o tamanho do erro no seu sofá-cama, no meio de um beijo estranho. Você engolindo 

minhas lágrimas bobas, lambendo minhas bochechas nos créditos de "Brilho Eterno de Uma 
Mente Sem Lembranças", que, aliás, a única coisa que entendi do filme é que o amor é uma 
coisa bem complicada. Você tentou me explicar por partes, e eu me senti menos burra e ridícula, 
embora com os olhos ainda aguados.

Eles, o mocinho e a mocinha, só queriam se esquecer usando aqueles fios e máquinas. Nunca 

mais lembrar um do outro. No fim, a gente aprende que tudo pode ser vivido só uma vez. 
Uma coisa ruim me faz te abraçar forte. Aí eu entendo quando as pessoas dizem que amando a 
gente abraça o mundo, porque, pelo menos aqui e agora, meu mundo inteiro é você.

Meus pés são a parte de mim que mais tenho vergonha e foi justamente por ali que você 

começou a fazer amor comigo. Como se iniciar pelo meu pior fosse um jeito de dizer que 
me aceitava, que me queria de qualquer jeito, azar se desde guria sempre fui a última a ser 
escolhida, do amor a times de vôlei. Você disse que eu tinha uns pés lindos, mas lindo 
mesmo fica você quando mente pra mim.

É cedo pra dizer, ou tarde demais pra fugir. Talvez você seja um cachorro-cínico-egoísta 

apenas sendo gentil-romântico-atencioso só pra me enganar na sua cama. Mas se não for 
você, será outro qualquer. Melhor que seja você. É nisso que eu penso enquanto você arreda 
as teia de aranha que fizeram casa no centro das minhas coxas e na minha emoção. Pelo 
menos assim esqueço que você pode estar julgando as estrias na minha bunda agora mesmo.

Aí goza e sai de mim. Fica brincando com meu mamilo esquerdo, olhando admirado. Se 

você ficar mais um minuto deitado nu do meu lado, embaixo do edredom, já poderei 
considerá-lo meu novo recorde. Outros já estariam vestidos me chamando um táxi. 
Você não, quer mudar tudo. Fala coisas que aos poucos transformam minhas expectativas 
em certezas. Eu achava que sabia a tradução da palavra saudade. Aí vai você e muda tudo. 
Vai fazer xixi e volta com coca gelada e mais um pouco de bis branco. Gosto mais do 
tradicional, mas fui nota dez nas aulas que ensinam a impossibilidade de se ter tudo.

Num instante você me olha apaixonado e depois se vira pra janela ficando um pouco 

fora do ar. Nessa hora me belisco pra não saber do porquê, sem esquecer do dia você 
me falou que nem toda pergunta requer uma resposta. Mas então não fica assim, não 
precisa dizer nada, só não me deixe faltar aqueles abraços silenciosos pra calar a boca de 
quem me mandou ter calma contigo. Agora que eu me perdi, só preciso de você me 
dizendo que amanhã ainda vou te achar no mesmo lugar, se eu procurar. Eu te quero, 
na medida do impossível.

Pega no meu queixo e diz que não sou só eu que sinto medo aqui. Faça alguma coisa ruim, 

qualquer coisa que me impeça imediatamente de sentir esse amor absurdo por você. Estou 
nas suas mãos e isso não é uma metáfora. Porque eu já não sei mais nada. Parece que sou 
mesmo seu foco de vida, mas também pode ser que você ande apenas distraído do 
resto do mundo. Ou, vai que você tá mesmo certo, as coisas são assim mesmo, o amor 
invade pela boca enquanto a gente se olha e fica rindo.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Que liiiiiiindo velho! Sério. Tô paxonada nesse texto! *-*

    ResponderExcluir
  2. O Gabito é incrível e dá para se apaixonar pelo livro inteiro! Tô amando e logo tem resenha aqui ♥

    ResponderExcluir

Twitter

Instagram