, , , , , ,

A leitura rompe barreiras

Rebecca Campelo15:20

O post de hoje é um tanto diferente, no sábado eu assisti à um intervalo comercial do fantástico que dizia que uma jovem pré-adolescente brasileira escreveu uma redação sobre a menina judia e vítima da guerra mais famosa do mundo e venceu um concurso nacional, como prêmio recebeu uma viagem com direito à acompanhante para a Holanda, onde conheceu o esconderijo de Anne, que hoje é um museu. Eu achei isso uma das coisas mais incríveis que já vi acontecer, e pesquisando e lendo sobre me emocionei muito e resolvi trazer à vocês o assunto.

 livia redação (Foto: rede globo)

 Lívia Fernanda tem 13 anos, mora em Confisco, MG e estuda na Escola Municipal Anne Frank.


Acredito que muitos de vocês conheçam Anne e a estória dela, mas para os que não conhecem ou para os que tem dúvida, segue o resumo:


"Annelies Marie Frank, mais conhecida como Anne Frank, foi uma adolescente alemã de origem judaica, vítima do holocausto, que morreu aos quinze anos de idade num campo de concentração. Ela se tornou mundialmente famosa com a publicação póstuma de seu diário, no qual escrevia as experiências do período em que sua família se escondeu da perseguição aos judeus dos países baixos. O conjunto de relatos, que recebeu o nome de O diário de Anne Frank, foi publicado pela primeira vez em 1947 e é considerado um dos livros mais importantes do século XX[...] A família de Anne passou a se esconder em julho de 1942, abrigando-se em cômodos secretos de um edifício comercial.
Durante o período no chamado "anexo secreto", Anne escrevia no diário suas intimidades e também o cotidiano das pessoas ao seu redor. E lá permaneceu por dois anos até que, em 1944, um delator desconhecido revelou o esconderijo às autoridades nazistas. O grupo foi, então, levado para campos de concentração. Anne Frank e sua irmã Margot foram transferidas para o campo de Bergen-Belsen, onde morreram em março de 1945.
Otto Frank, pai de Anne e único sobrevivente da família, retornou a Amsterdã depois da guerra e teve acesso ao diário da filha. Seus esforços levaram à publicação do material em 1947. O diário, que foi dado a Anne em seu aniversário de 13 anos, narra sua vida de 12 de junho de 1942 até 1 de agosto de 1944. É, atualmente, um dos livros mais traduzidos em todo o mundo. Wikipedia, editado." 

Anne marcou gerações e seu livro continua sendo impresso, vendido e apreciado em todo o mundo, se você não leu, já está na hora, hein. O diário trás uma visão totalmente diferente da que somos acostumados, os livros de história não contam como as coisas aconteceram de acordo com o ponto de vista de uma mocinha na pré adolescência que teve de viver escondida, não pode ir à escola, e marcou o mundo com sua forma de escrever. Já devem ter percebido que eu tenho um amor imenso pela Anne, rs. <3 Gosto muito de história, e o jeito que ela fala gente, é incrível, de verdade, leiam! rs

Voltando à Lívia, a redação vencedora foi essa:

Belo Horizonte, 03 de Abril de 2013. Querida Anne,Meu nome é Lívia Fernanda, tenho 13 anos, moro no bairro Confisco, Minas Gerais /Brasil, estudo na Escola Municipal Anne Frank.Anne, é com muita tristeza que recordo sua história, todo sofrimento nos campos de concentração, o extermínio nas câmaras de gás, a crueldade com que os nazistas tentaram exterminar o povo judeu.Já não era fácil de entender o modo de pensar de Hitler, mas nos dias de hoje continuamos a pensar e agir como ele, pois o racismo continua, nas cidades, no interior e, principalmente, no coração das pessoas.É inaceitável pensar que sou melhor ou pior somente por ter nascido negro ou branco, por ter escolhido uma religião ou pertencer a uma tribo.Você não acreditaria que até nas escolas existe preconceito, mas ele vem disfarçado, o seu nome também é diferente, não é racismo, ele se chama bullying.O pior, Anne, é que já existem leis para se combater tanta crueldade. Mas não existe lei que possa colocar amor dentro do ser humano.Conhecendo a sua história, vejo que há uma luz no fim do túnel. Espero que muitos ouçam-me falar de você, espero que possam entender, que o preconceito não leva a nada, apenas gera violência, separação e divisão.Você, Anne, pode se orgulhar, pois o seu diário, que foi escrito em meio a tanto sofrimento, hoje serve de referência contra o racismo, contra a discriminação, em todas as suas formas. Seja através do preconceito, bullying e outros, podemos usar como exemplo as suas experiências.Apesar das dificuldades, assim como você, acredito na esperança.
Abraços de,
Lívia


Lívia foi com a mãe para Holanda, conheceu o anexo que Anne viveu e visitou até a primeira escola que ela frequentou, bem antes de ter que se esconder. 
Isso me lembrou muito o livro A culpa é das estrelas, Hazel e Gus foram à Holanda e também conheceram um pouco mais sobre a história de Anne, apesar desse não ter sido o motivo da viagem, a propósito, tem resenha aqui no blog, já leu? Eu amo livros que tem referências de outros livros ou da história geral, talvez seja por isso que o A culpa é das estrelas seja um dos meus preferidos. 

E vocês, gostaram de saber disso tudo? Já leram O diário de Anne Frank? E A culpa é das estrelas? Quem aí gostaria de um passeio pelas ruas de Amsterdã? Contem pra nós!

Beijos!

You Might Also Like

6 comentários

  1. Que menina mais sortuda! Além de ir a Holanda, ganhou um post aqui no Sometive Luv! hahaha

    Eu ainda não li, mas quero muito ler. Faz alguns - poucos - meses que ele entrou para minha lista de leitura e cada vez ouço mais sobre ele.

    Agora fugindo um pouco do assunto, minha lista de leitura foi atualizada (isto é, livros novos e tal) recentemente, e só agora voltei a ler novamente, eu andava sem oportunidade de pegar um livro na mão, coisa que gosto tanto. O que último que li foi Meu Pé de Laranja Lima, e gostei bastante, por isso pretendo ver o filme agora. Super indico a você, caso não tenha lido!

    Xoxo



    ps. quando vai estrear a tag papo de banheiro?

    ResponderExcluir
  2. Leia, Laura, você vai amar, todo mundo deveria ler esse livro. Meu pé de laranja lima eu já li uma versão beeeem reduzida quando tava na 3ª série, se n me engano, quero ver o filme também! Nós já estreamos a tag, faz um tempinho, rs. pode conferir aqui: http://sometimeluv.blogspot.com.br/2013/04/papo-de-banheiro-respondendo-as.html Beeijos!

    ResponderExcluir
  3. Pois vale a pena ler o livro grandinho, heheh afinal é só 98pg mesmo.
    Ahh :c Eu sempre procurei ali na aba de cima, não sabia que postavam normalmente. Até acho que ficaria mais legal e organizado se todos fossem colocados ali na aba Papo de Banheiro, mesmo que postados nessa aba inicial. Fala com as meninas sobre essa possibilidade!
    Beijoos

    ResponderExcluir
  4. eu tenho vontade de lê-lo, mas ainda n achei rs. olha, n entendi nd q vc disse. ): Sou lerda

    ResponderExcluir
  5. Eu fui meio enrolada mesmo hahahah mesmo assim ainda nao sei como explicar: poste o Papo de Banheiro aqui na página inicial, mas poderia deixar esses posts com a tag também na página Papo de Banheiro em vez de só a opção de enviar pergunta por lá. Entendeu? sjdoasdjoasdjas
    bj

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post, acho muito triste a história da Anne, e o pior de tudo é que ela é real, quanta crueldade. Eu não terminei de ler o diário, mas assim que der terminarei, pois a história é de veras envolvente! A redação da nossa coleguinha Lívia mereceu ser premiada! Adorei o blog, muitão. tô seguindo! beijo!

    allanpenteado.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Twitter

Instagram