, , , ,

Não Se Apega Não (Isabela Freitas)

Kemily14:00

Tumblr

Sempre foi o tipo de garota que acreditava no melhor das pessoas. Acreditou em promessas que jamais foram cumpridas, deu chances a quem não merecia e depositou esperanças em histórias sem finais felizes. Acreditar é sinônimo de decepcionar, ela sabia. Mas não queria ceder a essa realidade tão cruel, não podia. Teve seu coração destroçado, estraçalhado, partes por todos os cantos da casa, sentimentos jogados ao vento e palavras que rasgavam seu peito a cada vez que relembradas. "O problema não é você, sou eu.", "Você é perfeita, mas não é isso que eu procuro..", "Estamos em épocas diferentes..", "Não sei se queremos as mesmas coisas". Acreditar, se decepcionar, cair, levantar, acreditar de novo? Não, isso precisava mudar.

Decidiu que precisava se livrar de tudo que remetia ao seu eu antigo. Jogou fora suas roupas velhas, sabe, aquelas camisetinhas já não faziam sentido; rasgou fotos como se estivesse rasgando o seu passado das suas lembranças e se desfez de presentes que tanto a encantaram um dia. Se era pra desapegar do passado, que desapegasse também da sua própria imagem: cortou o cabelo como se estivesse assumindo uma nova identidade e, mais importante, mudou seu modo de enxergar as pessoas. Abriu os olhos e não gostou do que viu. Como as pessoas eram falsas e forçadas! Quantos relacionamentos baseados no medo de ficar sozinho?  Mulheres se desvalorizando a troco de atenção só por uma noite? Homens mentindo, traindo e sendo perdoados no dia seguinte? Amizades sendo jogadas no lixo? Que mundo, hein.

Você já deve ter escutado muitas  histórias sobre pessoas decididas, e bem, essa é uma delas. Sabe aquela garota que acreditava no melhor das pessoas? Ela resolveu colocar o coração pra hibernar; a típica, e tão clichê, mulher independente que não precisa de ninguém. Se desapegou da ideia de que ser feliz é ter alguém ao seu lado; "Ter alguém ao meu lado? Para que?" Só me retem." Preencheu seu coração com tanto amor próprio que não sobrou espaço para mais nada. E ainda me perguntam, como se tornar uma pessoa indiferente e desapegada? Tá aí, a vida nos faz assim.

Chega um dia que cansamos de ser boas sem nenhum reconhecimento, afinal, ser boazinha? À troco de que? Trato as pessoas como elas merecem, e sim, elas merecem toda minha desconfiança e indiferença. O pouco de sentimento que restou dentro de mim está guardado e esperando alguém que o mereça, porque cá entre nós, a única pessoa digna desse amor todo sou eu. Ser desapegada é não dar chance para que alguém te decepcione.

Desconfio antes de acreditar, sou indiferente antes de me importar, não me apego a qualquer um e deixo que cada um siga o seu caminho, mesmo que diferente do meu. Sei que não posso segurar as pessoas pela camisa e obrigá-las a ficarem ao meu lado. Por isso dou meu melhor sorriso e digo meu sincero adeus. Pode ir, se sentir falta, volta. Se eu vou estar aqui? Talvez. Me desapeguei de ideias, pessoas, lugares e de esperanças. Não espero nada das pessoas, não fico muito tempo no mesmo lugar, não tenho sonhos e não tenho um plano de vida traçado. Vou vivendo assim, dia após dia, feliz com minha mania de não se importar com o que vai acontecer.

O indiferente de hoje é aquela pessoa que já se importou demais, e por quem não merecia. 

Eu espero sim que alguém um dia me surpreenda, me faça acreditar, tire meu escudo e me diga que eu posso confiar. Mas enquanto essa pessoa não vem.. Não se apega não. Estou feliz sozinha!

Isabela Freitas, 22 anos, Juiz de Fora, nasceu para escrever e para sonhar. Já ajudou várias garotas com a coluna "Conte Sua História" em seu blog e autora do livro "Não se apena não".

You Might Also Like

2 comentários

  1. "Acreditou em promessas que jamais foram cumpridas, deu chances a quem não merecia e depositou esperanças em histórias sem finais felizes." Sem mais. Lindo texto da Bebela!

    ResponderExcluir
  2. Perfeito, né Letícia? Sem palavras...

    ResponderExcluir

Twitter

Instagram