, ,

"Sobre Amor Doido "

Gabrieli de Cinque18:56


Amor não é um sentimento que impõe um tipo. Cada pessoa ama de sua maneira.

Amor doce. Amor calmo. Amor escondido. Amor selvagem. Amor descontraído. Amor birrento. Amor revoltado. Amor jogado. Amor sina. Amor melado. Amor separado. Amor guerra. Amor môzinho. Amor “tá-rui-mais-tá-bã”. Amor gelado. Amor explosivo. Amor competição. Amor sexo. Amor saudade. Amor não amo. Amor opostos.

São diferentes no modo de serem expressados, mas não deixam de ser iguais – é amor.

E tem o amor doido. Amor que descabela e que não sabe o que fazer com tanto sentimento envolvido. Que dá vontade de ir embora, mas já dói o peito só de pensar nisso. Que fica no pensamento, e você diz que nem se lembra. Que dá uma puta vontade de falar, mas você diz que seu orgulho é mais precioso. Que fecha a cara. Que sorri mansinho quando lembra. Que dá beijos no sonho. Que passa reto e não olha. Amor doido que faz a barriga esfriar em nevasca e o peito ficar quente demais pra ficar longe. Que faz correr para ficar, e quando tá quer sair correndo.

Acho que todos nós já amamos doido alguém. A gente grita, pula, quebra, xinga, foge e volta e foge de novo só para voltar para planejar outra fuga. E destruímos, e desgastamos, e socamos e tomamos cuidado para que nada se acabe porque no fundo, por baixo de toda a nossa loucura, a gente ama e não queremos perder por nada nesse mundo o nosso amor.

E a gente é doida por sempre dizer que quer largar aquele idiota, mas nunca largar. Até dói amar, dói muito, você diz, mas mata ficar sem. Por isso a gente vai ficando, você ficou, e eu já fiquei também. E remenda o que rasgou para continuar usando. E vai levando como se fossemos vento e ele pipa. E se sente bem, apesar das cicatrizes e dos medos que foi adquirindo com o tempo de se amar doido alguém.

O amor é um sentimento grande demais e por ser tão grande, nos mostra o quanto somos pequeninos, e isso nos assusta. Porque não sabemos muito bem o que fazer com aquilo tudo. E por estarmos assustados levantamos muros e cortamos as cordas das pontes, e acabamos sozinhos por ferrar com tudo. No amor a gente erra por medo de errar.

Existem centenas de amor doido pelo mundo. Você pode amar doido. Todos nós de uma maneira doida amamos alguém. Mesmo negando. Mesmo maltratando. Mesmo se escondendo. A gente ama. E nunca vai embora. Diz que vai. Diz que odeia. Que não quer e não gosta. Mas fica. Fica por que ama. Ama de uma maneira doida. Mas ama. E amar é o que importa.

– N. L. Resabinar.

You Might Also Like

1 comentários

  1. hey!

    Ai ai esses tempos eu dei uma parada nesse troço chamado amor...mas só na minha cabeça mesmo pq na verdade estamos amando o tempo todo de nossas vidas. E esse amor doido é o melhor...o que nos proporciona mais risadas e brincadeiras!!

    Adorei o texto roubei um trechinho e postei na nossa pagina do blog!

    Grande Beijo :P

    sonhos-perdiidos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Twitter

Instagram